1 votos | 1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas |Média: 5,00 de 5
Loading...Loading...

Vício em internet, como proteger seus filhos

Estamos no seculo 21, e a tecnologia já faz parte de nossas vidas querendo ou não, mas infelizmente existem casos isolados onde pessoas desenvolvem doenças psíquicas ao envolver-se em demasiado no mundo online.

Uma doença moderna mas que causa preocupação, “o vício em internet” está presente e cresce a cada dia causando preocupação dos psiquiatras do mundo inteiro que dizem que os sintomas em casos extremos incluem depressão, privação do sono, baixa auto-estima e a reclusão social.

À medida que cresce, a internet se aprofunda na vida do ser humano por meio tecnologias e serviços de baixo custo que se popularizam com muita facilidade como é o caso dos smartphones e os planos de internet móvel cada vez mais acessíveis, assim, um número maior de pessoas desenvolve o vício em internet sendo mais especificamente em navegação nas redes sociais, jogos online e agora com inúmeros aplicativos viciantes disponíveis.

Vicio em internet

Em meados de 2008 a China se tornou o primeiro país à declarar o vício em internet um transtorno clínico e na Coreia do sul à alguns anos, o governo declarou que um em cada 5 estudantes possuem o vício de internet.

Como proteger seus filhos do vício em internet?

Considerando então um problema real e presente, como os pais podem proteger seus filhos do vício em internet sem afetar ou despertar comportamentos inadequados presentes em casos como estes? Pensando nisso, aqui vai uma lista com algumas formas de combater o vício em internet.

Não afaste-o completamente do computador ou smartphone!

Visando manter uma boa  comunicação familiar considere não afastar seu filho do vício em internet de maneira repentina. Tente soluções simples.

Os pais devem permitir que seus filhos usem a internet em períodos controlados e deixar claro que o acesso à web é um luxo e não um direito dele. Outra solução é mostra-lo que existem outras atividades além do universo online, como por exemplo o uso do internet para o trabalho, consultas e até mesmo brincadeiras em família.

Mas os especialistas dizem impor limite é mais que necessário desde o início, pois muitas vezes o problema foi causado porque ninguém impôs quaisquer tipos de limites.

Limite o acesso à áreas públicas da residência!

Monitorar um adolescente ou até mesmo uma criança pode ser uma tarefa difícil para os pais, mas se seu filho possui um computador no quarto ou dorme com o smartphone enrolado no pescoço com certeza você terá um problema ainda maior.

Publicidade

A solução para estes casos é monitorar, e para isso posicione o computador em locais públicos da casa, como na sala por exemplo, assim seu filho não poderá ficar online o dia inteiro sem que você perceba.

Esta ação também ajudará no monitoramento do conteúdo que seu filho acessa na internet.

Outro ponto importante é que o computador tenha uma senha de acesso onde somente os pais devem saber e assim liberar o computador somente quando achar necessário ou justo.

Seu filho realmente precisa de um smartphone? Sim!

Sabemos que não dá para privar seu filho de um smartphone em pleno seculo XXI, então algumas medidas são necessárias para manter o controle sobre ele mesmo com um smartphone em mãos.

  • Não dê dinheiro para internet móvel (Aquela comprada da Oi, Tim, Vivo, Claro e etc.). Este será um limite necessário, e para dar-lhe o acesso configure um aparelho “Wi-Fi” onde você tem controle e pode desligar o sinal sempre que necessário.
  • Caso ele utilize planos de acesso, compre o plano básico que tenha uma franquia à se bater, assim o acesso será interrompido sempre que a quantia de dados for extrapolada.

Incentive seu filho à realizar outras atividades!

Pense em manter seu filho com ocupações e distrações, seja música, esporte, artes e até mesmo trabalho, o importante aqui é fazer com que ele goste de atividades assim como fazer com que ele tenha menos tempo para dar margem ao vício em internet.

Caso o esporte, trabalho ou outras atividades não funcione, então utilize o computador com ele para tarefas importantes, mas que para crianças e adolescentes serão simplesmente “chatas”. Tais atividades podem ser: Ler jornais, pesquisar receitas de bolo, fazer currículos, e principalmente estudar!

O importante aqui é que você faça junto com ele(a) e que isto não seja exatamente o mundo online que ele admira.

Seja você o exemplo !

Nenhuma das soluções acima ajudarão seu filho á largar o vício em internet se você não dar o exemplo. Será muito difícil para ele se você aplicar inúmeros limites e ele ver você acessando o Facebook, Twiter, lendo e-mails e lendo notícias sobre esportes ou receitas na internet.

Lembre-se que você é o exemplo do seu filho, e se ele lhe idolatra então seguira seu modelo de comportamento, inclusive no tempo que ele permanece online.

Mas se você é uma pessoa que trabalha neste ramo, e precisa estar online, considere então passar algumas horas fora da internet, mas não impondo limites ao seu filho e sim realizando tarefas divertidas com ele.

Regras familiares – Crie um Free-Tech

O exemplo não vem somente do pai ou da mãe, também tem que vir de toda família, então considere realizar a famosa “Free-Tech” ou seja é um tempo onde ninguém da família pode ficar próximo de alguma forma de tecnologia pois este tempo será gasto para conversas, brincadeiras e conhecimento entre os familiares.

Lembre-se que ninguém pode ter exceções na regra, e é de extrema importância que ambos os pais sejam rigorosos ao aplicar as regras ou do contrário “a criança ou adolescente irá tratar um dos pais como inimigo“.

 

Miller Alberto
Webmaster e blogueiro profissional, atualmente vive de blog e está satisfeito em ganhar fazendo aquilo que gosta. Afixado por tecnologia e internet, tem como hobby jogar FPS e criar conteúdo, dicas e tutoriais para os site e blogs que possui. Mais artigos deste autor

Miller Alberto

Webmaster e blogueiro profissional, atualmente vive de blog e está satisfeito em ganhar fazendo aquilo que gosta. Afixado por tecnologia e internet, tem como hobby jogar FPS e criar conteúdo, dicas e tutoriais para os site e blogs que possui. Mais artigos deste autor